Ciência

Porcos podem desenvolver fígado extra em nódulos linfáticos, afirma estudo

Porcos podem desenvolver fígado extra em nódulos linfáticos, afirma estudo



We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.

Animais grandes com fígados danificados podem desenvolver um novo em seus nódulos linfáticos a partir dos hepatócitos de seu corpo, de acordo com um estudo recente publicado online e em publicação no jornalTransplante de Fígado.

Os ensaios clínicos em humanos são apenas uma questão de tempo.

RELACIONADO: A CÉLULA RECENTEMENTE IDENTIFICADA PODE SER CAPAZ DE REGENERAR O TECIDO DO FÍGADO

Porcos podem desenvolver fígados extras nos nódulos linfáticos, diz estudo

Os hepatócitos são as principais células funcionais do fígado, e se regeneram naturalmente - nutridos nos gânglios linfáticos, onde podem se multiplicar, segundo o estudo.

"É tudo uma questão de localização, localização, localização", disse Eric Lagasse, autor sênior do estudo e professor associado de patologia da Escola de Medicina da Universidade de Pittsburgh. "Se os hepatócitos chegarem ao lugar certo e houver necessidade de funções hepáticas, eles formarão um fígado ectópico no linfonodo."

Normalmente, as células do fígado se reabastecem por conta própria, mas ainda precisam de um ambiente saudável e estimulante para prosperar. Mas na doença hepática em estágio terminal, o tecido cicatricial no fígado a retém - criando um ambiente tóxico demais para a regeneração celular.

"O fígado é um frenesi para se regenerar", disse Lagasse, que também é membro do Instituto McGowan de Medicina Regenerativa e do Centro de Pesquisa de Fígado de Pittsburgh. "Os hepatócitos tentam reparar seu fígado nativo, mas não conseguem e morrem."

Ampliando o tratamento auxiliar do fígado

Quase dez anos atrás, Lagasse percebeu como injetar células saudáveis ​​do fígado nos nódulos linfáticos de um camundongo faria com que eles prosperassem, tornando-se um fígado auxiliar para assumir o trabalho do fígado de baixo desempenho induzido geneticamente dos animais.

No entanto, os ratos são pequenas criaturas. Lagasse e seus colegas tiveram que mostrar que sua descoberta também poderia fazer crescer uma massa substancial de tecido hepático secundário para vencer a doença hepática.

Para recriar as condições de um fígado humano em porcos, os pesquisadores canalizaram o principal suprimento de sangue do fígado ao mesmo tempo em que removiam uma amostra de tecido hepático saudável, do qual extraíram hepatócitos. O mesmo animal foi então injetado com células do fígado, diretamente nos nódulos linfáticos abdominais.

Todos os seis porcos no experimento mostraram recuperação substancial da função hepática, com seus nódulos linfáticos hospedando não apenas hepatócitos prósperos, mas também uma rede de vasculatura formada espontaneamente e dutos biliares que revestem as células do fígado transplantadas, de acordo com o estudo.

Fígados auxiliares crescem proporcionalmente, o tratamento humano é possível

Os animais com danos hepáticos mais graves viram o crescimento de fígados auxiliares ainda maiores, o que significa que os corpos dos animais trabalham naturalmente para manter o equilíbrio da massa hepática, em vez de um crescimento descontrolado - como comumente vemos em células cancerosas.

Esta pesquisa é significativa porque dá mais credibilidade a outro estudo recente de Lagasse e colegas da Mayo Clinic, que mostrou como o tecido hepático saudável cultivado em linfonodos de porco com defeito genético no fígado migrou para o fígado dos animais por conta própria - substituindo o doente células e curando a doença hepática dos animais.

Além disso, seja por alcoolismo ou hepatite, Lagasse acredita que cultivar fígados auxiliares em nódulos linfáticos pode nos ajudar a chegar mais perto de tratar todas as doenças hepáticas de maneiras mais eficazes do que nunca.


Assista o vídeo: Porcos voaram para a China. AFP (Agosto 2022).